Serviço Anti-Drone

Serviço Anti-Drone

News

Serviço Anti-Drone

20/09/2017

Hoje em dia, o veículo vem ganhando cada vez mais destaque tanto no espaço aéreo quanto nas discussões tecnológicas entre especialistas da área. Isso porque seus recursos podem ser utilizados para finalidades diversas, gerando impactos positivos ou negativos. No primeiro caso, os drones são capazes de exercer as seguintes funções: fazer entregas de materiais e objetos de necessidade básica, tais como água e medicamentos para habitantes de regiões menos favorecidas; prestar serviços de segurança e vigilância de estabelecimentos públicos e privados, assim como de eventos locais e/ou internacionais; salvar vidas em áreas remotas; resgatar pessoas em situações de risco devido às condições climáticas; detectar possíveis ameaças à natureza e aos animais, reduzindo o número de desmatamentos e gangues criminosas que contribuem para a extinção das espécies.
Por outro lado, os drones têm igual ou maior capacidade de causar grandes estragos à sociedade, incluindo empresas e órgãos do governo. Em um piscar de olhos, suas funcionalidades podem transformar um cenário pacífico em um completo caos, causando destruições em massa. Parece que o jogo virou, não é mesmo? Pois então. Utilizando toda a sua agilidade, os drones são capazes de causar danos como: bombardear edifícios, veículos e vias públicas; atirar em pessoas e/ou animais; destruir aeronaves em trânsito; explodir em caso de queda desgovernada; vigiar e espionar locais de acesso proibido; e por último, mas não menos importante, acessar redes corporativas para roubar dados e informações sigilosas.
Desta forma, torna-se imprescindível trabalhar em cima de ações que reduzam a exposição ao equipamento aéreo, evitando maiores perdas – pessoais e materiais. Por isso, a T-Systems incluiu mais um serviço ao pacote Magenta Security. Focado exclusivamente no combate aos drones, tal serviço foi desenvolvido em conjunto com a Dedrone, empresa que desenvolve plataformas de segurança para monitorar, alarmar e reagir a essa ameaça.
Em resumo, essa parceria criou uma espécie de “escudo aéreo” para bloquear possíveis ataques a áreas pré-definidas. Para isso, a equipe Magenta faz um mapeamento bastante criterioso das áreas em risco e constrói torres de segurança que detectam drones irregulares em seu radar. Assim, os equipamentos que surgem dentro das zonas de alcance são automaticamente reconhecidos e “interceptados”, caso necessário.
Para tornar esse processo possível e bem executado, é preciso passar por três importantes pilares. O primeiro deles consiste na instalação de câmeras de vigilância, as quais identificam se o objeto aéreo é mesmo um drone ou se é apenas um pássaro ou uma aeronave. Já o segundo pilar se resume no escaneamento do drone em área, realizando uma leitura do tipo de ameaça a ser causada pela tecnologia presente no equipamento. Esse “raio X” identifica toda a estrutura do drone em questão, uma vez que a T-Systems é capaz de prever os comandos de navegação antes mesmo deste levantar voo. O sistema grava e retém as imagens, os vídeos, a trajetória e os micro ruídos emitidos pelos drones para comprovar a invasão do perímetro.
O terceiro pilar, por sua vez, diz respeito ao Jammer, equipamento moderno de diferentes frequências. Os Jammers são capazes de emitir uma forte onda eletromagnética que corta a conexão entre o drone e o seu condutor ou bloqueia o sinal GPS, o que causa uma desorientação e o consequente pouso do drone. O melhor de tudo isso? O serviço anti-drone funciona em quaisquer condições climáticas, garantindo proteção 24×7. Este escudo já é utilizado na proteção de estádios, shows, prisões e datacenters ao redor do mundo.
Devido à rápida proliferação dos drones, o serviço oferecido pela T-Systems torna-se indispensável e, não à toa, é um dos grandes itens de inovação do portfólio Magenta Security!