Magenta Security

News

Magenta Security

20/09/2017

Atualmente, empresas no mundo todo estão cada vez mais envolvidas na transformação digital. Ao adotar soluções móveis e aplicações em nuvem, tais empresas intensificam o uso da tecnologia em seus processos, otimizando assim seu modelo de negócio. Embora esse avanço tecnológico gere eficiência operacional, economia (de tempo e dinheiro) e redução de falhas, os riscos de exposição dos dados crescem na mesma proporção. Enquanto as companhias aperfeiçoam seus sistemas de informação, os chamados hackers se especializam em violar as diversas camadas de proteção, desenvolvendo técnicas de invasão cada vez mais sofisticadas.
Nesse cenário, espera-se que os investimentos no ramo da segurança da informação cresçam para garantir a confidencialidade e disponibilidade dos dados, pois estes representam elevado valor intelectual e financeiro. Porém, o Brasil enfrenta algumas barreiras no setor. Uma delas é a escassez de profissionais especializados em mecanismos de proteção, visto que o país está imerso em uma cultura que não cultiva a devida preocupação com ameaças cibernéticas e, desta forma, não cria a necessidade de preparação de mão de obra capacitada em segurança de TI. Isso explica por que a média de capital investida na proteção de dados por empresas brasileiras é de apenas 5%.
Visando combater acessos ilegais/invasões por vírus ou códigos – os quais lideram os rankings de ataques cibernéticos – e acabar com a resistência das companhias à adoção de soluções que protejam seu ambiente, a T-Systems viu a necessidade de desenvolver um programa de segurança fim-a-fim. Nesse contexto foi criado um robusto portfólio conhecido como Magenta Security!
Com sua alta complexidade, o Magenta Security da T-Systems integra diversas soluções em uma operação assistida 24×7, para total proteção e visibilidade, gerando eficácia e melhor desempenho. Ao desenvolver um trabalho extremamente dinâmico e versátil, a equipe Magenta cria um “escudo” contra ações irregulares para preservar suas próprias informações e as de seus clientes. Tal “escudo” combate tanto os ataques menos agressivos de vírus a dispositivos móveis quanto invasões com objetivo de espionagem ou sabotagem que utilizam drones. Isso ocorre devido ao ecossistema de parceiros estratégicos definidos, os quais cobrem todos os aspectos de Segurança da Informação para proteção dos seus dados.