ICT quality is a key criterion when choosing a service provider. Certification and partnerships are important indicators.

Qualidade em TIC

Assegurar disponibilidade, segurança e estabilidade

De acordo com o Gartner, a incompetência nos negócios digitais vai erodir a competitividade e poder de mercado de uma em cada quatro empresas até 2017. Processos com base na Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) serão vitais para a continuidade do crescimento e inovação. Com isso em mente, a T-Systems lançou em 2011 o seu programa de controle de qualidade Zero Outage – a fim de maximizar a disponibilidade e a satisfação do cliente. A filosofia Zero Outage abraça a cultura focada em manter sistemas funcionando a todo tempo.

A qualidade em TIC forma a base para o crescimento digital

Apple, Google e Facebook são três das maiores empresas do mundo. Na verdade, seis das 10 maiores marcas do mundo são do ramo tecnológico (Revista Forbes, 2015). Isso é prova de que a tecnologia – e, particularmente, a cloud computing – é a base para o sucesso a longo prazo em uma economia cada vez mais digitalizada. Somente na próxima década, a implementação de tecnologias de internet no ramo de produção pode aumentar a economia da Alemanha em até 207 bilhões de euros (McKinsey, 2014). Sem a digitalização, esse impulso seria perdido.
Quality by T-Systems VIDEO
Flash não disponível
A T-Systems preza pelo maior valor à qualidade. Desde muito tempo, nós perseguimos a estratégia de “erro zero”, baseada em nosso sistema global Zero Outage de controle – e entrega a maior qualidade e confiabilidade para o seu negócio.

Disponibilidade e segurança são essenciais

A TIC tem um papel ainda maior na inovação e crescimento econômico. É necessário que ela esteja disponível a todo momento, todos os dias do ano. Por causa disso, evitar ciberataques e desmantelar espionagens industriais são extremamente importantes. Uma TIC pobre em qualidade pode minar ou até mesmo destruir processos inteiros. E isso vale não somente para modelos puramente digitais de negócios, como e-commerce – isso se aplica a todos os setores, incluindo a indústria automotiva, logística, serviços financeiros. Interrupções de serviço podem ter um custo imenso em termos de faturamento perdido ou dano à reputação. Por exemplo, quando o iTunes e a AppStore, da Apple, ficaram off-line por 11 horas no início de 2015, isso custou à empresa algo próximo a US$ 2,2 milhões por hora. Em outras palavras, estruturas robustas, seguras e sempre disponíveis são essenciais.
The 3-P-Concept

Combinar pessoas e tecnologia é a chave

Tendo em vista estes riscos, 98% das empresas citam a qualidade em TIC como o critério mais significativo na escolha de um provedor de serviços (ISG, June 2015). Certificações e parcerias de longo prazo podem ser um guia inicial. Mas como avaliar a qualidade de processos e serviços de TIC? E o que você pode fazer para proteger a sua própria TI e disponibilidade de sistemas de maneira segura? Apesar de todos os esforços preventivos, não existe nada como “uma TI à prova de falhas”. Mas a cultura Zero Outage oferece um caminho confiável – mesmo diante dos piores cenários. Correspondente a isso, o gerenciamento de qualidade deve atuar com múltiplos mecanismos, todos diversificados – tanto no aspecto tecnológico como no aspecto organizacional – incluindo o monitoramento constante e auditorias regulares, com o objetivo de sempre aprimorar a qualidade em TIC. E por meio de todas as atividades, a combinação entre pessoas e tecnologia é fundamental. Mais do que plataformas de ponta, altamente seguras e disponíveis, pessoas e processos exercem um papel essencial na qualidade de TIC.