An it architecture comprising , highly compatible elements is the basis for a high-availability systems landscape.
Tópico

Platforms

Uma arquitetura harmonizada reduz a inoperância

Platforms

Um ambiente de TI segmentado prejudice a confiabilidade e disponibilidade de um Sistema. As melhores – e mais essenciais – práticas são:

  • Atualizações constantes
  • Escalabilidade completa de soluções a fim de se evitar gargalos
  • Monitoramento end-to-end de plataforma
  • Tecnologias de nuvem redundantes
  • Consolidação e padronização de plataforma

Plataformas complexas de TI são inerentemente perigosas

A maioria das empresas operam em diversas plataformas. À medida que os ambientes de TI evoluem, a combinação de múltiplas soluções com tecnologias emergentes como o cloud computing, o arquitetura de TI tonra-se cada vez mais complexa e pesada. Isso traz problemas para a confiabilidade e disponibilidade da infraestrutura. Consequentemente, falhas de sistema não são apenas resultado de falha humana ou processos de baixa qualidade – elas também são comumente atribuídas à vulnerabilidade tecnológica subjacente de plataformas de TIC.
As causas, por vezes, são notavelmente triviais: hardware e software desatualizados não são apenas mais propensos ao mau funcionamento, mas também são alvos mais fáceis para hackers – e o número de ataques continua a crescer. De acordo com uma pesquisa conduzida em 2015 pela organização Forsa, uma em cada quatro empresas alemãs foi vítima de ciberataques pelo menos uma vez. Tais invasões são geralmente associadas com a perda de dados sigilosos ou um impacto negative em vendas. Por essa razão, é primordial que a arquitetura de TI seja sempre atualizada e as últimas versões dos softwares estejam instaladas.

Evitando gargalos com soluções escaláveis

Talvez algo menos evidente, mas igualmente crítico, é o problema de plataformas subdimensionadas. Isso gera gargalos em termos de capacidade e recursos – que podem, por sua vez, rapidamente resultarem em desempenho irregular ou quedas de sistema. O cuidado no planejamento estratégico da arquitetura de TI – auxiliado por especialistas, se for necessário – em conjunção com soluções totalmente escaláveis, asseguram que as bases de dados dos clientes e seus sistemas de contabilidade continuem a operar sem problemas, mesmo que o volume de dados e carga aumentem. Uma parte essencial também é conduzida pelo monitoramento end-to-end – a fim de identificar e erradicar falhas de sistema que possam levar a grandes períodos de inoperância, afetando a produtividade.

Redundância para mais confiança

Um método primordial para evitar incidents de inoperância na era da computação em nuvem é o da entrega de tecnologia redundante. Por exemplo, é possível salvas todos os dados sigilosos duas vezes – em dois data centers fornecidos por um parceiro e desenhados de forma idêntica, em locais separados. Desta forma, as empresas podem sempre acessar os “bits e bytes” essenciais, ainda que um dos locais fique offline. Uma redundância desse tipo tem um preço, mas traz um maior retorno a longo prazo: probabilidades bem menores da TI ficar for a do ar, o que pode ser imensamente caro e trazer um dano enorme à reputação.
Criar uma arquitetura de TI estável e resiliente inevitavelmente significará reformar ambientes complexos de legado que comprimem tecnologias diversas. A fim de que os serviços de TI sejam entregues diariamente para todas as partes de um negócio, é preciso padronizar plataformas que combinem alto desempenho com alta disponibilidade.
Em resumo, a arquitetura de TI precise ser planejada com cuidado e prevenção, além de ser regularmente revista dentro do escopo de uma mudança efetica de processos de gerenciamento. Isso exige um investimento de tempo e dinheiro – mas é algo essencial para assegurar que o ambiente de TI tenha qualidade e confiança duradouras.